domingo, 6 de novembro de 2011

News

Artista plástica valoriza reflete cultura indígena em suas obras



Font Size Larger Font Smaller Font
Apesar de ter nascido no sul do país, quando criança ela conviveu com o universo da cultura nativa roraimense e aos 18 anos foi morar na Austrália, onde iniciou seus estudos em artes plásticas. Na oportunidade conheceu a arte primitiva e iconográfica dos aborígenes, o resultado desta mescla de culturas e técnicas artísticas é a produção de uma série de telas pintadas em acrílico mostrando o cotidiano dos povos da Amazônia que têm sido expostas no Brasil e no exterior.
Ela é a artista plástica e pesquisadora Ana Medina, 33, que se diz apaixonada pelas culturas nativas do mundo. É formada em Artes Plásticas pela Technical and Further Education (TAFE), de Sydnei, na Australia. Tambem cursou oficinas de desenho, fotografia e escultura na Universidad de San Jose, na Costa Rica. Atualmente mora em Brasília, onde estuda Design de Moda. No ano passado, a artista fez uma exposição em Boa Vista sob o título: “...Pra sempre Amazônia...” as telas também foram expostas no Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília, e contou com a presença do líder indígena Davi Kopenawa
Medina afirma que “A celebração da vida na Floresta manifestada através da arte e da cultura indígena brasileira e mundial me fascina. A beleza do artesanato indígena e da linguagem iconográfica. Assim como as crenças e mistérios da sabedoria milenar dos povos da floresta, ajudam na preservação da conexão entre o homem, a natureza e o espírito”
Ela observa ainda que “Sou fascinada por artesanato indígena e desde o início da minha pesquisa de criação venho coletando artesanato indígena de Roraima, e através dele é possível observar algumas nuances da arte indígena como iconografia, cores, texturas e simbologia. A partir daí começa o processo de estudo das minhas criações. Também tive a honra de conhecer algumas comunidades indígenas e seus representantes e sempre que posso compro o artesanato diretamente com a comunidade, o que torna a peça ainda mais especial”.
Sobre a valorização da cultura indígena a partir dos aspectos artísticos ela afirma que “A Arte indígena é muito rica em conhecimento ancestral, que deve ser respeitado e preservado para que as futuras gerações possam manter viva sua cultura. Todo esse universo tem sido fonte inesgotável de inspiração e tento fazer da arte um veículo pelo qual as diversas culturas indígenas possam ser conhecidas e apreciadas. Os povos da floresta precisam de reconhecimento e respeito e de parceiros não-índios que os ajudem a preservar sua cultura”.
Em relação ao seu processo de criação, a artista diz que “texturas, matéria-prima, cores, formas do artesanato junto a símbolos ancestrais da Iconografia encontrada nos artefatos indígenas, são indispensáveis em meu processo de criação que muitas vezes não passa de uma releitura da arte já existente, nada mais é do que a pura realidade indígena. A interação com a floresta, o xamanismo, tudo isso influencia minha criação, tentando captar e transcrever um pouco da magia da cultura indígena através das artes plásticas.

Eu sou...

...A celebração da imaginação manifestada através da arte, vinculada ao que realmente acredito e respeito. O grande criador, a liberdade, a vida, a natureza e o ser humano. Conhecendo a arte e a cultura de diferentes povos das florestas do mundo...
Postar um comentário